Saiba como resolver os 10 principais problemas de todo síndico

Seja no trabalho ou em casa, o convívio entre as pessoas é algo que requer um certo jogo de cintura em algumas situações. No condomínio, essa realidade não é diferente. E adivinha de quem é a função de mediar esses conflitos? Isso mesmo: do síndico.

É preciso sensatez e profissionalismo nessas horas, mas isso não exclui o surgimento desses conflitos. Por isso, o bom mesmo é saber como agir nos 10 maiores problemas que o síndico enfrenta dia a dia.

1- Inadimplência

O caso de inadimplência está entre os mais comuns no condomínio. Não existe uma fórmula exata de como por um ponto final nessa questão. Porém existem algumas medidas que podem ser aplicadas para ajudar a prevenir esse incidente. Observe:

  • Ofereça descontos para quem pagar com pontualidade;
  • Estipule uma taxa condominial com uma margem sobre o orçamento mensal;
  • Trabalhe com um fundo de emergência.

2- Barulho

O barulho com certeza ganha destaque nesse ranking e traz vários desentendimentos entre os moradores.

O ideal é ter uma ação preventiva para esses casos. O síndico deve determinar junto a convenção de moradores o limite máximo de decibéis e determinar períodos de silêncio.

Dentro do regimento interno do condomínio também deve incluir punições para quem desrespeitar as normas.

3- Garagem

Carros maiores que as vagas ou estacionados fora da faixa são um quadro propício a muita confusão.

Sinalizar adequadamente a garagem, investir na demarcação de vagas e iluminação da área de tráfego, evita boa parte desses aborrecimentos.

Investir na comunicação dessas áreas também é outra dica muito importante. Isso vai deixar os moradores sempre em alerta do que deve ser feito para manter um bom convívio.

 4- Animais

Os animais domésticos são a paixão da família brasileira. É isso que mostram os dados mais recentes do IBGE, 2013. São 132 milhões de pets no país, o que coloca o Brasil no 4º lugar com a maior população de animais de estimação do mundo.

Mas o grande desafio é: Como cuidar desses animais dentro do condomínio?

Hoje não se pode mais proibir a presença de cães e gatos dentro do condomínio. Isso se deu, após uma jurisprudência ter consolidado que é direito do condômino ter a posse de animais no interior de qualquer unidade habitacional, mesmo em casos de haver proibição exigida pelo condomínio.

Entretanto, é necessário ter regras para um relacionamento saudável entre os moradores. Veja algumas:

  • Determinar espaços e horários dentro do condomínio para a circulação dos animais;
  • Uso de coleiras;
  • Notificar com advertência seguida de multa para o barulho contínuo dos animais dentro da unidade condominial.

O importante é que os animais não interfiram no bem-estar dos moradores.

5- Desentendimentos

As discussões entres os condôminos podem ter vários motivos: barulho, localização de vagas ou animais de estimação.

Para isso, é preciso respeito e bom senso entre a comunidade. A resolução de conflitos nem sempre é fácil e, quanto mais demora para ser resolvido, mais grave ele se torna.

No caso da necessidade da intervenção do síndico nessas situações, será necessário muito profissionalismo.

6- Fundo de reserva

A criação desse fundo deve ser reservado apenas para casos de emergência e terá que ser recomposto logo após a sua utilização.

A convenção condominial determina que esse fundo deve representar um percentual da taxa do valor do condomínio – normalmente entre 5% e 10%. Sendo indicado mantê-lo numa conta separada para melhor administrá-lo.

7- Segurança

A insegurança no Rio de Janeiro é algo que parece não ter mais controle. Assaltos em bancos, casas e condomínios são frequentes. Por isso, é preciso evitar que isso aconteça.

Um sistema de segurança completo, com alarmes, câmeras de segurança e portões automatizados são essenciais para a segurança do local.

Escolher uma empresa idônea pode ser a solução para minimizar os riscos do seu prédio.

 8- Aprovação de reformas

É quase impossível reunir todos os condôminos em assembleia, o que dificulta a aprovação das reformas.

Portanto, investir na impressão de folders informativos falando da importância de comparecer às reuniões é ótima opção para o síndico. Além de enviar para todos os moradores uma pauta dos assuntos que serão abordados na reunião.

9. Nenhum condômino disposto a ser síndico

Por ser uma atividade multifacetada e que demanda uma grande responsabilidade, muitos moradores não querem assumir esse papel.

Nessas horas, talvez a solução seja contratar um síndico profissional.

10. Contabilidade

Dedicar-se a gestão do condomínio e a suas múltiplas tarefas é quase uma missão impossível. Por essa razão, muitos síndicos pedem o auxílio de uma administradora.

A empresa escolhida em assembleia ficará responsável por toda parte financeira do condomínio.

Buscar apoio de uma empresa capacitada pode ser a solução para os problemas financeiros do seu condomínio.