A evolução da segurança eletrônica

Se sentir seguro se tornou algo consideravelmente importante na nossa rotina. Com a onda de violência que tomou conta do Brasil e do mundo, é de primordial importância que estejamos constantemente monitorados para nossa própria segurança. Grande parte desse processo de monitoramento se dá a partir da segurança eletrônica, ou seja, câmeras, alarmes e outros equipamentos eletrônicos que fazem parte do nosso dia a dia.

Você conhece a história por trás das câmeras de segurança? Sabe onde a primeira foi usada? Conhece a influência da segurança eletrônica no nosso dia a dia? Tem ideia do que significa CFTV? Se você respondeu não a alguma dessas perguntas, está na hora de ler esse artigo sobre a história da segurança eletrônica que a Ser-Tel preparou exclusivamente para você.  Confira:

A segurança eletrônica e a evolução das câmeras

Segurança eletrônica 1

Registros históricos mostram que as primeiras câmeras de segurança surgiram na cidade mais populosa dos Estados Unidos, ou seja, em Nova York. Policiais decidiram instalar câmeras pelas ruas da cidade para melhorar o monitoramento diário. Obviamente, as câmeras não eram de uma tecnologia avançada como nos dias atuais, mas funcionavam com um sistema CFTV. O que é CFTV? Um circuito fechado de televisão, ou seja, as câmeras precisavam ser monitoradas 24 horas por dia. Os sinais do circuito tinham vários pontos de visualização, mas por ser um circuito fechado, poucas pessoas tinham acesso às imagens.

Na década de 70, fitas cassetes começaram a ser usadas para gravar as imagens provenientes das câmeras de segurança, tornando-as mais populares. A importância dessa novidade foi grande, pois não era mais necessário que pessoas ficassem monitorando as câmeras durante todo o tempo, e as fitas eram usadas apenas como provas. Com o baixo custo das fitas, logo outros países começaram a adotar o mesmo sistema de segurança.

Durante a década de 80, as câmeras de segurança ganharam mais importância e começaram a ser usadas em lugares com grande movimento de pessoas, na vigilância policial, no controle de tráfego aéreo, entre outros. Foi também nos anos 80 que surgiram as câmeras CDD (Dispositivo de Carga Acoplada). Essas câmeras possuem um microchip e captam imagens em condições de luz baixa e durante a noite. Com essa inovação, as câmeras puderam ser usadas de forma mais abrangente e efetiva.

Na década de 90 ocorreram as grandes evoluções, muitas novidades surgiram e os avanços não pararam.  Foi permitido que um só sistema de segurança pudesse gravar imagens de diversas câmeras ao mesmo tempo, e os avanços não pararam por aí. As câmeras agora teriam sensibilidade ao movimento e gravação intervalada. Foi também nos anos 90 que as câmeras chegaram aos bancos, garantindo a segurança de seus clientes e funcionários.

Com a chegada dos computadores, a segurança eletrônica e seu sistema se tornaram ainda mais inovadoras. As imagens que antes ficavam gravadas em fitas ou em microchips, hoje são armazenadas em discos rígidos, o que facilitou muito o armazenamento. Também foram introduzidas novas funcionalidades com a era digital, como o zoom e a possibilidade de trazer mais nitidez a imagem.

A evolução das câmeras de segurança caminha lado a lado com a tecnologia. A população vem procurando várias maneiras de se proteger, e uma das maneiras mais usadas, definitivamente, é a instalação de câmeras de segurança, que são aliadas contra ameaças e criminalidade.

A segurança eletrônica e a evolução do CFTV

CFTV, como já dissemos acima, é um circuito fechado de televisão.  Ele distribui sinais provenientes de locais específicos, para um ou mais pontos de visualização. Na sua versão mais simples, ele é constituído por câmera(s), meio de transmissão e monitor. Não temos informações sobre quem inventou o CFTV, mas ele encontra-se em estado de constante evolução tanto em termos de tecnologia, quanto em termos aplicacionais.

Antigamente as câmeras eram grandes, pesadas e não existia uma qualidade muito boa de imagem. Além disso, como não existia sistema de gravação, cada câmera precisava de um monitor e necessitava ser monitoradas 24 horas por dia.

Atualmente, o CFTV não é mais um simples sistema de monitoração. Ele evoluiu para áreas de reconhecimento facial, reconhecimento de matrículas, segurança rodoviária, entre outros. Ele não é mais aplicado somente com propósitos de segurança, mas é utilizado em outras áreas como escolas, laboratórios, empresas privadas e etc…

A Ser-Tel é especializada

A Ser-Tel trabalha com três tipos diferentes de CFTVs e pode te ajudar a escolher o melhor para a sua necessidade. Saiba mais sobre os nossos sistemas de câmeras de segurança e sobre os nossos alarmes. Entre em contato conosco e peça já o seu orçamento.

 

Links úteis:

pabx;

cabeamento estruturado;

automação de portão;

portão eletrônico;

sistema de alarme.